segunda-feira, 3 de março de 2008

Grandes Mulheres

Retrato de Maria, C. Portinari (1931)



8 de março, Dia Internacional da Mulher.

Que seja ocasião de refletir. Dia de observar e pensar. De debater o “ser mulher”, a condição feminina em nossa sociedade e em nosso tempo. As conquistas e os eternos desafios, a igualdade formalmente reconhecida e as desigualdades que na prática persistem. A força e a vulnerabilidade do ser mulher. Dia de refletir sobre a convivência (possível!) da emancipação plena e do trabalho, de um lado, com a preservação da feminilidade e o desejo de maternidade, de outro.

Dia, também, de celebrar. Mas celebrar de um modo que não resuma esta data às usuais celebrações banais e tão bem exploradas comercialmente, centradas em uma exaltação feminina de significado trivial ou mesmo caricatural, tão distante do real ser mulher, de nosso modo todo particular - e único - de ser mulher. Não será possível?

Durante todo o mês de março o ..efêmeras letras.. dedicará espaço exclusivo a homenagear as mulheres. Com a colaboração de amigas - poetas, jornalistas, juristas, artistas plásticas... - contamos um pouquinho sobre algumas dentre tantas Grandes Mulheres.

Grandes mulheres

Porque autênticas, porque fortes.
Porque corajosas, porque talentosas.
Porque desafiaram seu tempo.
Porque sensíveis, porque tão humanas,
porque em busca do bem e do belo.

Mulheres que admiramos.
Mulheres que não cabem em estereótipos,
frágeis rótulos.

Mulheres de diferentes tempos e espaços,
que inspiram a cada uma de nós,
a seu modo.

Agradeço desde já a todas estas amigas que me honraram e alegraram em aceitar este convite.
A vocês, mulheres de hoje,
meu muito obrigada.

Letícia.

5 comentários:

renata disse...

Olá letícia, adorei a sua iniciativa, ao homeagearmos mulheres fenomenais estamos honrando tantas outras e a nós mesmas... Parabéns a você e a todas a mulheres que fazem acontecer!

Sérgio Franck disse...

Permita a minha deixa, também aqui, Letícia?

Mulher

Mulher é bicho bonito
Não foge à labuta
Não deixa as coxas
Ao machismo de cicuta

Mulher é mistério escrito
Por dias de horas senhoras
Itálico, cursivo, negrito...
Letras em páginas da história.

Mulher exemplar da espécie rara,
sem ti, o mundo seria um canto de notas em dó-menor, beldades tristes; um lamento sem sol, por sonhos que não existem...

Cintia Thome disse...

Leticia...

Agradeço, pois nós que temos que te agradecer com estes honrados postados...
A mulher é poesia
Todos amam poesia
A poesia ama as mulheres!

Letícia Möller disse...

Renata e Cintia,
obrigada pelas palavras gentis.
Sergio,
adorei teus versos!

Tive muita vontade de promover algo diferente, ainda que em escala bem reduzida e sem nenhuma pretensão senão a de fomentar alguma reflexão sobre a mulher, estimular-nos a lembrar de personagens femininas marcantes, valorizando-as, e sobretudo de propiciar trocas interessantes entre nós.

Estou muito feliz com a adesão a esta idéia, com a beleza das contribuições de todas, com a delicadeza e a seriedade com que cada uma conta sua homenageada. Tenho aprendido muito e achado cada vez mais uma delícia ser mulher...

Beijos,
Letícia.

Letícia Möller disse...

A amiga Renata Bomfim, no seu blog Letra e Fel, reproduziu uma entrevista com a intelectual e "pós-feminista” Camille Paglia. Vale a pena conferir! Em:

http://letraefel.blogspot.com/2008/03/no-h-mais-o-culto-mulher-bem-sucedida.html