sexta-feira, 14 de março de 2008

Grandes Mulheres: Saramar Mendes conta Odele e Flávia

Odele e Flávia


Há uma mulher entre tantas que, como todas, carrega sua cruz.
É uma mulher do povo, nem musa, nem estrela. Nenhum poema de renome lançou em versos, sua luta.
Como tantas mulheres, de amor vive morrendo.
É planta, árvore madura e sadia repartindo sua seiva em goles fartos, em imensa doação.
Seu nome é Odele.
Quem a viu por aí chorando? Quem percebeu seu pranto, se nem tempo tem para verter em água, o golpe? Quem vê, da árvore o líquido brotando, de dentro, dentro ao sentir que lâmina crudelíssima quase lhe arranca um ramo?

Odele é mãe de dois lindos filhos: Flávia e Fernando que seriam como tantos outros filhos, não fora a dor que esta mãe carrega, e ainda assim, cada vez mais forte e mais bela em sua luta.
Odele é a mãe da “Flávia vivendo em coma”, como conhecemos a pequena flor, quase abatida no início de sua floração pela irresponsabilidade e a ganância.
Odele é também escritora e poeta, e publica seus textos em http://oficinadepalavras.blogspot.com/

A história de Odele e sua filha? Eu conto um pedaço: Flávia tinha apenas 10 anos quando seus cabelos foram sugados pelos ralos da piscina do condomínio, onde a família morava no bairro Moema, em São Paulo. Foi retirada da piscina e levada para a UTI do Hospital Santa Isabel, em coma. E assim permanece já há dez anos.

"Flávia segue inconsciente, em coma vigil. Abre os olhos durante o dia e os fecha à noite. Mas não interage com o meio ambiente e é completamente dependente para toda e qualquer atividade da vida. Ao longo dos anos, devido ao tempo em que fica imóvel vem adquirindo deformidades severas que torna o quadro ainda mais doloroso e difícil de cuidar" (Odele).

Odele luta há 10 anos por justiça. Há dez anos, espera, os braços fortalecidos na luta diária com seu raminho de frágil existir. Há dez anos, Odele luta, sem desistir.
Ela é meu exemplo de mulher.

Quer saber mais sobre Odele e Flávia? Visite-as em http://flaviavivendoemcoma.blogspot.com/

Em dezembro, escrevi este pequeno poema para Flávia


FLÁVIA, A FLOR E SUA ÁRVORE

Há uma flor profundamente adormecida

e a beleza de sua árvore.

como é a sina das árvores, esta vela

em força, também em dor.

Nem os ventos, os ventos frios dos dias,

que arrancam lamentos entre os ramos e as folhas,

perturbam a linda flor, em seu sono.

Qual princesa dorme a flor,

dos contos de fada, personagem.

Porém nenhum príncipe virá

com seu beijo de acordar

e nem o espera a princesa em flor.

A árvore, cuidadosa, vela.

Sua seiva milagrosa mantém a vida

da linda flor e seu sorriso raro.

A árvore espera que o vento se vá,

ainda que fique a dor.

Se não há príncipe a caminho,

há o dragão da injustiça

a ser combatido todos os dias,

único capaz de vergar a árvore e

deixar solta do ninho, a flor.

(Saramar Mendes)


Saramar Mendes
Funcionária pública, aprendendo a luta com as palavras.

16 comentários:

renata disse...

Cara Saramar, estou comovida com a história dessa mãe e dessa filha, que exemplo de amor a Odele nos dá, enquanto vemos tantas mães abandonando seus filhos...
É inimaginável a dor desse mulher e um milagre divino como consegue traduzir isso em palvras e ações!
A forma como você transformou a História de Odele e Flávia em uma prosa- poética leve e profunda me dá a entender que você não luta com as palavras, mas com ela dança.

Cristiane disse...

Saramar,
Fiquei sensibilizada com a tua sensibilidade... Fico, também, muito feliz quando encontro pessoas com o olhar sobre os outros, neste mundo que, seguidamente, olha tanto a si mesmo. Obrigada por trazer estas vidas para cada uma de nòs, compartilhando conosco a luta da Odele e da Flàvia.
Beijos,
Cristiane

Betty disse...

Letícia

Conhecer seu blog foi um presente nesta manhã. Que coisa mais bonita, homenagear grandes mulheres, e de maneira tão original.

A Odele, sem dúvida, é uma grande mulher. Ela é um ser humano especial, um exemplo de força e dignidade para todos nós.

A Saramar já tem um cantinho no meu coração e me encanta sempre com seus versos. Ela é poesia na essência, é delicadeza, é sensibilidade à flor da pele.

Você sabia que hoje se comemora o Dia Nacional da Poesia?

Ave, poetas!

Nydia Bonetti disse...

Querida Poeta

Você realmente tem o dom de nos emocionar.
Ah... A dor e a força desta mãe...
Que Deus as abençoe! E a todas as mulheres, mães e seus filhos!
Saramar, seu talento é do tamanho da sua sensibilidade... Imensos...
Beijos.
Obrigada

Odele Souza disse...

Saramar, querida Saramar,

Estou tentando encontrar as palavras exatas, para demonstrar minha emoção e gratidão diante de tuas palavras para comigo e Flavia.
Como dizem os portugueses,és uma querida Saramar.

O blog de Flavia, tem sido para mim um recurso valioso de protesto contra a lentidão da justiça brasileira e de alerta para o perigo dos ralos de piscinas. Mas não só isso. O blog de Flavia tem me colocado em contato com pessoas com a tua delicadeza e sensibilidade.

Obrigada por este post Saramar, e por tuas palavras que nos chegam como solidariedade, carinho e amizade. És uma querida.

Um beijo meu e de Flavia para ti.

Brancamar disse...

Amiga Saramar,
Foi com muita alegria e emoção que recebi indicação deste eu post. Primeiro porque também acompanho Odele e Flávia e o que diz é lindo e de toda a justiça. Odele é uma mulher maravilhosa e Flávia um anjo que dorme e nos move a todos em busca da justiça. O seu poema é muito lindo, eu própria tenho andado a pensar se serei capaz de lhe dedicar um tema em verso, não sei se terei talento para tanto...
Sai também feliz daqui por a conhecer finalmente por fotografia e por saber que é funcionária pública, é algo mais que temos em comum e também tenho Mendes nos meus sobrenomes.
Um grande beijinho para si.
Branca

Cintia Thomé disse...

Saramar

Uma filhinha doce que aí está vendo o dia ou a noite, talvez estrelas e nada mais, porque seria este enlace de mulheres a olhar estrelas e perguntar o porque da fatalidade em suas vidas que as uniu em pesada dor , mas grande amor, mãe e filha, mulheres ...
Falr seria talvez chegar a banalidade, mas olhar...o cuidado do olhar das duas....todo dia, mas prefiro as noites, pois podemos pergunra o porquê(?)
Parbéns Saramar, mais uma sendo a sombra que Deus nos dá para que pensemos que não estamos tão desprotegidas assim...
Deus abençoe todas....

Letícia Möller disse...

Querida Odele,

sinta-se intensamente abraçada por nós, que estamos com nossos pensamentos em ti e na tua linda menina Flávia.
É de uma tristeza infinita a suspensão da vida normal de uma criança, do seu dia-a-dia feliz e ativo, do seu brincar, interagir, aprender, ver o mundo. A dor aqui, contudo, não encontra adequada expressão - como disse a Cintia -, tanto mais quando a causa simplesmente não poderia existir: o perigo dos ralos de piscina, do qual Flávia não é a primeira nem será, infelizmente, a última vítima. Isto aconteceu aqui no Rio Grande do Sul, há muitos anos, também com uma menina.
Odele, a tua força e o teu amor de mãe são lindos e imensos, e inspiram profundamente a todas e todos.
Um beijo muito grande para ti e para Flávia.

Saramar, já admirava a poeta talentosa e sensível que és, hoje tenho a felciidade de ter conhecido e passado a admirar muitíssimo a mulher e o ser humano maravilhoso que és!

Betty,
é um prazer te conhecer e receber a visita aqui no blog.

Um abraço fraterno,
letícia.

Odele Souza disse...

Saramar,
Passei para ler os comentários que estão deixando aqui em teu blog e dizer que fiz uma chamada para este post lá no meu "Oficina de Palavras" (São umas letrinhas dançantes que estão logo acima da foto de Flavia)

Renata,Cristiane, Betty, Nydia, Brancamar,Cintia e Leticia obrigada pelas palavras gentis. Um beijo pra vocês.

Um beijo Saramar.(*)

PS.* - Oportunamente, vou publicar, com muito carinho este post lá no blog de Flavia.

SIDADANIA disse...

Faz bem ler algo que fala de cada um com carinho.
Em todas as lutas, há alturas em que as nossas forças caem por terra e por vezes parece que a coragem nos abandona, e questionamo-nos se vale a pena continuar.
Quando alguém nos dá o empurrão para seguirmos em frente escrevendo coisas lindas como este texto da Leticia, as forças voltam com tal intensidade que levamos o mundo à frente se preciso for.
Não se canse de escrever textos como este. Odele bem merece ser encorajada e apoiada, pois por muito forte que pareça certamente também tem momentos em que um carinho faz toda a diferença.
Gostei de conhecer o teu blog.
Um beijo
Raul

suco disse...

Conheço a história da Odele e sei da sua coragem, da sua determinação, mas também da sua sensibilidade, da sua ternura. Por isso, subscrevo todas as justas palavras que aqui são ditas a propósito de tão valorosa mulher, que tenho a honra de ter como minha amiga.

Betty Branco Martins disse...

querida____________Saramar



um gesto_______para o qual faltam as_____palavras


mas_____estão aqui escritas e muito_______bem



todas elas. mostrando a luta de uma mãe.mulher que não perde a coragem_______mesmo na sua dor____de ver a sua querida filha______que vegeta



.ela vai buscar força_____para que o seu____GRITO!______vá sempre um pouco mais____além___...



também eu_____como. mulher.mãe solidária com a Odele


lhe digo obrigada______pela força das suas palavras_______dedicadas



a esta corajosa MÃE e à sua FILHA_______Flávia













beijO c/ carinhO
bFsemana

xistosa disse...

Uma lufada de ar fresco, neste mundo cão.
São palavras bem combinadas num doce poema, para alegrar um pouco a vida martirizada, duma mãe que tanto sofre.
A natureza a fez forte, querida Odele.
Talvez, (nesta vida), um dia haja justiça!

SILÊNCIO CULPADO disse...

SARAMAR
É com emoção que leio a sua exposição poética, emocional e ternamente solidária.
Odele é o rosto da luta e da coragem porque não é fácil lutar pela justiça em condições tão difíceis.
Ela é para mim o símbolo da MULHER inteira e de todas as mães que lutam para além do que parecem ser os limites possíveis.
Espero que, juntos nesta caminhada por Odele, possamos dar uma lição ao mundo na conquista da dignidade que nos pertence e que é conferida por uma justiça que nos sirva e que seja justa.
Bem haja pelo seu trabalho, Saramar.

Odele Souza disse...

Letícia,
Voltei para reler os comentários e fazer uma correção urgente. O texto é de Saramar, mas o blog é seu, não é mesmo? Parece que além de mim, outras pessoas cometeram o mesmo equívoco, achar que este blog é de Saramar.Peço desculpas Letícia. Eu já tinha Saramar nos meus links e com muito gosto linkei este seu "Efêmeras Letras". Gostei de ler sobre as outras mulheres que você abriga aqui em sua casa, tão simpática e acolhedora. As palavras de Saramar para comigo e Flavia, são lindas, e o teu gesto de nos acolher aqui em teu espaço, também é. Obrigada Leticia.

Um beijo.

Letícia Möller disse...

Odele querida,
agradeço pelo carinho e pelas tuas palavras tão gentis. Sinta-se em casa nesta minha morada.
Penso em ti e na Flávia, com afeto e esperança.
Um grande beijo,
Letícia.