segunda-feira, 24 de março de 2008

Grandes Mulheres: Karina Fleury conta Maria Antonieta Tatagiba

Maria Antonieta Tatagiba (1895-1928)

Nascida na bucólica São Pedro do Itabapoana, no interior do Espírito Santo, Maria Antonieta Tatagiba fez história para além da tríade esposa, mãe e dona de casa.

Destemida e impetuosa, não conseguiu realizar seu sonho de ser uma farmacêutica, mas fora professora, diretora de escola, poetisa, colaboradora de jornais e revistas capixabas e de Campos- RJ, além de assumir a direção de um jornal são-pedrense por quase um ano, do qual o marido era colaborador. Soube driblar a angústia e a frustração que poderiam ter-lhe sombreado a alma ao ver que seu desejo de se tornar diferente da maioria das mulheres de sua época não seria realizado. Substituiu os fármacos pelos poemas. Dedicou-se intensamente à produção literária e tornou-se a primeira poeta capixaba editada, em 1927 (um ano antes de ser vitimada pela tuberculose), com a publicação de "Frauta agreste".

Ao longo dos oitenta anos decorridos desde sua morte, Antonieta tem sido lembrada por estudiosos, escritores, amantes das letras capixabas que vêm revisitando, reconhecendo e reafirmando o valor literário de sua obra, sobretudo neste século, e a sua importância como representante feminina da poesia capixaba do século passado.


O RISO


Bendito seja o riso que aos negrores
Da vida, ao infeliz faz olvidar,
Como o vinho, adormece as nossas dores,
De quem sofre é conforto singular.

Disfarça o sentimento sob flores...
Padeces? Trazes na alma algum pesar?
Ri que o riso adormece as nossas dores
E nele um lenitivo hás de encontrar...

Riso é ironia – riso é esquecimento,
Aos tristes dá aspecto de ventura
E faz supor distante o sofrimento...

Riso – invencível arma de mulher
Que, rindo, docemente, com ternura,
Seduz o mundo inteiro, quando quer!

(Maria Antonieta Tatagiba)

Karina Fleury

Karina de Rezende Tavares Fleury nasceu em Vitória, Espírito Santo, em 1966. Formada em Letras e Direito, é professora da Prefeitura Municipal de Vitória, mestranda em Estudos Literários (UFES), pós-graduada em Teoria psicanalítica e práticas educacionais (UNIG). Publicou, em 2007, "Alma de flor- Maria Antonieta Tatagiba: vida e obra" (com o apoio da Academia Espírito-Santense de Letras e da Secretaria Municipal de Cultura- PMV).

Contato: karina.fleury@gmail.com.
Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/8516679878288876

8 comentários:

renata disse...

Que grata surpresa encontar a Karina e a Antonieta neste espaço!
A primeira uma amiga queridissima do mestrado da UFES, a segunda, uma das muitas mulheres pioneiras e corajosas espalhadas por este Brasil que merece ter sua obra divulgada.
Dupla felicidade!
Muita luz
Renata

Letícia Möller disse...

A troca de conhecimentos que estamos tendo, sobre a vida e a obra destas grandes mulheres, tem sido para mim muito enriquecedora e fonte de constante satisfação.

Falando nas mulheres poetas aqui homenageadas: conhecer Renata Bomfim me levou à Florbela Espanca, Karina Fleury à Maria Antonieta, Cíntia Thomé à Ana C. Sem contar a narração intensa da Cris Alves sobre a filósofa Edith Stein e sua força e amor diante da barbárie dos campos de concentração; a dupla homenagem de Nydia Bonetti – indo ao século XVI, com a poesia de amor divino de Teresa de Ávila, e de olhos no presente, com a linda obra pictória de Lena Gal; e Saramar Mendes, que nos apresentou a comovente história de Odele Souza e sua filha Flávia, em coma há 10 anos, que emocionou e emociona tanto a todas nós.

Karina,
te agradeço muito pela participação aqui no ..efêmeras letras.. Trazes um nome importante e maravilhoso das nossas letras, que devemos realmente resgatar, buscar conhecer, valorizar. Não consegui encontrar referências mais completas sobre a tua publicação “Alma de flor...”, onde fazes um estudo da vida e da obra de Maria Antonieta. Como é possível adquiri-la? É bom que deixes aqui indicado, a quem interessar possa.

Beijos,
Letícia.

Fleury disse...

Olá, meninas.
Sinto-me honrada em participar deste espaço. Alma de flor não é vendido em livrarias.Foi um estudo solicitado pela Academia Espírito-santense de Letras, que tem como objetivo distribuir os livros para as bibliotecas estaduais e municipais. Pode ser adquirido na própria Academia por 10,00, ou ainda, comigo mesma, pelo mesmo valor que sempre repasso para a referida instituição.
Se alguém se interessar é só me mandar email solicitando, ok?
Obrigada, Letícia, pelo espaço que nos tem proporcionado e às nossas mulheres.
Beijo,
Karina.

Nydia Bonetti disse...

Este espaço realmente nos tem proporcionado gratas surpresas, especialmente no sentido de divulgar histórias, personagens, talentos e trabalhos, que muitas vezes ficam restritos ao âmbito regional, ou ao círculo de interesse restrito de cada área.Confesso que não conhecia o trabalho de Maria Antonieta. Amei sua poesia.
Parabésn Karina, pela divulgação e Letícia pelo espaço.
beijos.
Nydia

Anônimo disse...

Grandes Mulheres...grande iniciativa, amiga. Que bom! Parabéns e sucesso
Abração
Ester Torinho

Anônimo disse...

Sensibilidade aliada a uma acuidade intelectual ímpar, assim defino Karina Fleury.
Com certeza, só temos a lucrar, no melhor sentido da palavra, é claro, com os seus estudos literários. A julgar pelo resgate da Natureza de Maria Antonieta Tatagiba, muito ainda receberemos desta estudiosa incansável, sempre pronta a nos proporcionar o que há de melhor da literatura em geral.
Sucesso,
Desta que sempre a admirará,
Elizangela Patrocínio.

Odele Souza disse...

Leticia,
Realmente este teu espaço se tornou para mim visita habitual e prazeirosa por que me proporciona conhecer essas mulheres maravilhosas que passam por aqui.

Obrigada à Karina Fleury por me apresentar Maria Antonieta. E que encantadora esta foto antiga!
Adorei o poema pela beleza dos versos e pela verdade passada. O riso é mesmo necessário. Haja o que houver, venha o que vier.

Deixo com vocês o meu abraço e o meu carinho.

FOUCAULT2009 disse...

Olá Karina,

Não conhecia a poetisa Maria Antonita Tatagiba, assim, como desconheço a existencia de tantos outros maravilhosos emabladores de sonhos e dores. Esses que fazem nas palavras aquilo que fazemos das palavras.
Ao momento também cumprimento Letícia pela iniciativa deste bello blogger.
Fleury Foucault.
Sensacional !!!